Voce está em: Estudos Bíblicos - Heresias nas Igrejas

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 2005
TEMA: HERESIAS NAS IGREJAS; O FALSO EVANGELHO!
AULA Nº24

ASSUNTO: BATALHA ESPIRITUALTexto: Ef 6.12

Introdução:
Um dos assuntos que mais envolve curiosidade e gera mais crendices está na angelologia, sobretudo no que diz respeito à batalha espiritual.
Não me refiro a real batalha espiritual que os santos travam a cada dia contra a  influência do inimigo com todas as suas artimanhas, nem tão pouco me refiro à luta que certamente ocorre no mundo espiritual; a batalha espiritual a qual me refiro, é a doutrina divulgada em algumas denominações evangélicas, baseada nas seguintes práticas e crenças:
1)Ênfase exagerada aos seres espirituais (anjos e demônios);
2)posse de comando do exército de anjos;
3)revelação dos nomes de demônios e seus postos para travar guerra contra eles
4)revelação das estratégias do Diabo para poder desfazê-las;
5)revelação dos principados demoníacos para poder destrona-los;
6)mapeamento espiritual.
A teologia da batalha espiritual baseia-se em textos como Dn 10. 10-13,20,21  e  Ef 6.12.
Aconselho aos irmãos reverem em especial as aulas 5, 6 e 7 que trataram do assunto “libertação” e a questão sobre crentes endemoninhados, conversas com demônios, etc... Os tópicos 3, 4 já foram estudados em outras aulas, portanto, estaremos estudando as demais práticas.

I)O culto aos anjos

Devemos ter cuidado para não cairmos no erro de colocar a nossa ênfase em qualquer pessoa ou ser que não seja o Filho de Deus.
Recentemente uma parcela de determinada denominação evangélica teve de ser excluída devido à idolatria aos anjos. Muitos crentes de forma despercebida, alegram-se mais quando dizem na igreja que viram anjos do que com a própria presença do Filho de Deus.
Nos alegramos com os anjos do Senhor, reconhecemos a sua grandeza e santidade que refletem a glória deste Deus maravilhoso que servimos; entretanto, adoramos somente a Deus, pois só ele é totalmente puro e todo-poderoso!
Quando enfatizamos demasiadamente visões, profecias e supostas revelações; quando gostamos muito de tudo o que é sobrenatural, tendemos a cair facilmente como presas nas mãos de certas seitas e heresias.
Em Ap 22. 8,9, um anjo não permitiu ser adorado por João e afirmou ser conservo dele. No mesmo livro vemos os anjos adorando a Jesus (Ap 5. 11-14) e em Fp 2. 10,11; Paulo afirma que todo o joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor!
Na epístola aos Hebreus, no capítulo 1, nos versículos de 4 a 14, podemos ver claramente quem são os anjos e percebemos que Jesus é superior aos mesmos, pois ele é Deus.

A ênfase em nossas reuniões deverá ser sempre o Filho de Deus, ele é o caminho, a verdade e a vida e somente através dele chegamos ao Pai!

A pessoa maravilhosa de Jesus e a sua vontade, bem como o seu poder, estão expressos em sua Palavra.

II) “Mandando” no exército de Deus!
  

Para as pessoas que acreditam nas heresias da batalha espiritual, deve ser extremamente excitante achar que tem todo exército do céu sob as suas ordens; isto deve dar uma grande sensação de “poder”!
O triste de tudo isto é que esta crença divulgada em algumas denominações evangélicas afirma que os crentes possuem poder para determinar para aonde devem se deslocar os anjos de Deus, não apenas isto, mais crêem que podem enviar comandantes (arcanjos), querubins e capitães para a batalha.
Amados, é verdade que existe um grande exército nos céus, só que o comandante é Deus!
Como comandante, ele é quem dá ordem aos seus anjos! O Salmo 91.11 diz que O SENHOR, dará ordem aos seus anjos a nosso respeito, e não diz que nós damos ordens aos anjos! O exército é dele! Os anjos estão sob o comando de Deus; ele é o Senhor dos Exércitos!
A epístola aos Hebreus também deixa claro este princípio no capítulo 1, versículo 14, quando afirma que os anjos são enviados a nosso favor; enviados por quem? Pelo Senhor, é óbvio!
Para comandar um exército tão poderoso, somente um Deus todo-poderoso!
Na Bíblia não vemos nenhum apóstolo ou profeta dando ordens aos anjos, o que vemos é Deus enviando os seus anjos.

III) Efésios 6.10-20

Este texto é bastante usado pelos pregadores da batalha espiritual, principalmente para justificar a tentativa de se descobrir à hierarquia do demônio que está agindo em determinada pessoa ou localidade; entretanto, de modo algum ele serve de base para esta prática ou para se dar ordens aos anjos.
Não encontramos neste texto, bem como em toda a Bíblia, base para dar ordens aos anjos do Senhor, mapeamento espiritual ou para descobrir qual o nome dos demônios e principados que estão agindo em determinada pessoa ou lugar.
Embora o texto revele uma verdade a respeito do mundo espiritual, a ênfase deste texto está exatamente na fé em Deus que garante a vitória. O Senhor deixa claro que a nossa vitória não é alcançada com nossos próprios esforços, mais sim com as armas de Deus.Toda luta que enfrentamos, sempre terá um cunho espiritual.
Davi não poderia vencer o gigante com as armas de Saul (I Sm 17.38,39) , mais venceu o gigante pelo poder de Deus (I Sm 17. 37,40-51) !
Veja II Co 10.4
Quanto ao reino espiritual, o texto de Ef 6. 10-12; mostra-nos a existência de uma hierarquia espiritual entre os anjos maus, ou seja, o reino espiritual das trevas é organizado. O texto revela ainda que o “quartel general” destas hostes espirituais da maldade está nas regiões celestiais (Ef 2.2) e que lutam contra os santos; no entanto, o texto não dá nenhuma base para deslocarmos exércitos de anjos para o combate, ao contrário, mostra as armas que devemos usar (certeza da salvação, justiça que não é a nossa e sim de Deus, fé, Palavra de Deus, verdade, base no Evangelho e oração).
Não devemos orar pedindo aos anjos que se movam, mais sim orarmos ao Senhor!
A hierarquia espiritual também é revelada em Colossenses 1.16. Esta organização é vista entre os anjos de Deus e também no reino das trevas, porém não nos interessa uma lista interminável de nomes de demônios ou descobrirmos qual está agindo ou ainda o posto que ocupa; não nos interessa se é um “príncipe”, “capitão”, “tenente” ou “sargento”, isto é ridículo e leva a uma verdadeira neurose. O único que tem poder para deslocar o seu exército é o próprio comandante, e este é Jesus Cristo!
Existem crentes valorizando demais ao Diabo (embora não ignoramos as suas artimanhas) e aos demônios!

IV) Daniel 10.10-13,20,21
Mapeamento espiritual consiste em: descobrir quais os pecados da população antepassada que habitou em determinada região; as maldições existentes; descobrir quais os demônios que agem ali e descobrir a hierarquia que ocupam e até mesmo qual o líder e a quantidade de demônios sob seu comando. Podemos notar que tudo isso é um grande absurdo!
Não vemos nenhum profeta, apóstolo ou qualquer servo do Senhor na Bíblia realizando estas práticas!
Um argumento que usam para tal bobagem é o texto de Daniel 10.10-13,20,21; mais seria impossível, pois:
1º)Daniel não estava orando por nenhuma suposta guerra espiritual, mais sim, estava orando pelo seu povo e, por causa da sua fidelidade, Deus revelou a ele o que aconteceria com o seu povo. Daniel encorajaria os cativos, com a promessa de Deus do triunfo final da nação sobre os impérios gentios.
2º)Daniel não estava procurando revelações sobre espíritos territoriais, mais buscava resposta do Senhor sobre o seu povo (vejam o versículo 14 do capítulo 10). Ele não estava preocupado com o que estava acontecendo entre os anjos, aliás, ele nem sabia.
3º)Daniel estava alheio à batalha entre os anjos.
4º)Daniel não pediu para anjos serem enviados, mais Deus enviou Gabriel em resposta ao seu amor pelo Senhor e pelo seu povo.
5º)O texto mostra uma experiência particular que Daniel teve ao orar.
Irmãos; não interessa se o Inimigo está enviando demônios para combater contra a Igreja, o que interessa é que à vontade de Deus jamais poderá ser impedida!
Embora possam existir poderes demoníacos agindo em determinadas regiões, não significa que devemos descobrir a identidade ou graduação dos mesmos. Nossa vitória estará na obediência, fé e amor a Deus.

V) Marcos 5. 1-20
Finalmente este texto também não serve como base para as orações de guerra espiritual.
Este texto, especialmente o versículo 10, não justifica o deslocamento de anjos ou demônios para determinada área.
Não podemos ferir a hermenêutica, portanto, este texto deve ser analisado junto com os textos paralelos de Mt 8.28-33 e Lc 8. 26-34.
Em Lc 8.31 vemos que os demônios pediram para não sair daquele lugar porque temiam que o Senhor os mandassem para o abismo (prisão). Somente o Senhor teria autoridade para isso. Descobrimos então que estes textos não justificam mandar demônios saírem de um lugar para outro.

Conclusão:
O assunto “Batalha espiritual” é bastante vasto, mais creio que os irmãos puderam compreender nesta aula que não há nenhuma justificativa bíblica para o “fascínio” de mandar nos exércitos celestiais, pois eles pertencem a Deus e cumprem a ordem do Senhor!