Voce está em: Estudos Bíblicos - Heresias nas Igrejas

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 2005
TEMA: HERESIAS NAS IGREJAS; O FALSO EVANGELHO!
AULA Nº17
ASSUNTO: TEOLOGIA DA PROSPERIDADE - PARTE 2

Texto: Fp 4. 10-14

Introdução:
Queridos irmãos; continuando o assunto da aula anterior, analisaremos hoje alguns textos que são utilizados pelos pregadores da prosperidade em seus estudos e pregações. Refutaremos cada um deles segundo a Palavra de Deus e desmascararemos as suas mentiras.

A teologia da prosperidade ferindo a hermenêutica bíblica

A teologia da prosperidade mostra alguns textos isolados para justificar as suas heresias absurdas, ferindo as regras mais elementares de interpretação do texto sagrado.
Não é necessário falar de cada regra da hermenêutica bíblica, pois isto tomaria bastante tempo, mais falaremos resumidamente de alguns princípios violados pelos mestres da prosperidade.
Quando um pregador da prosperidade está falando as suas heresias, automaticamente está indo contra algumas coisas fundamentais e básicas que toda a Bíblia claramente fala o contrário em várias passagens. Para isso, usam um texto fora do contexto bíblico; ou então manipulam a interpretação para seu próprio proveito, por exemplo:
         1)Dizem que Jesus era muito rico quando a Bíblia diz que ele se fez pobre! (Zc 9.9; II Co 8.9; Fp 2.5-11)
2)Dizem que o Crente deve ter dinheiro quando a Bíblia diz que é difícil entrar um rico no céu e que na igreja são poucos os ricos. A Bíblia ainda ensina que o amor ao dinheiro é a raiz de todo o mal! (Mt 19.24; I Co 1.26-31; ITm 6.10 )
3)Dizem que as dificuldades e lutas são sinais da falta de fé; quando a Bíblia mostra que ao quando passamos por elas mostramos a nossa fé! (Hc 3. 17-19; Hb 11. 33-40; Tg 1.12)
4)Dizem que as lutas são um sinal de pecado na vida do crente; quando a Bíblia diz que nem sempre é isto, mais as lutas também são provações! (Jó1.1,12; 2.3,7)
5)Dizem que devemos ter sempre o melhor nesta vida, quando a Bíblia diz que teríamos aflições (Jo16.33; IICo6.10; Tg 1.9-10)
6)Dizem que não podemos adoecer, quando a Bíblia nos diz que alguns homens de Deus ficaram doentes (II Rs 13.14; Jó 1.20-22; 2.9,10; Fp 2. 25-30; I Tm 5.23; II Tm 4.20)
7)Dizem que devemos determinar as coisas [quando a Bíblia diz que Jesus é o Senhor (I Jo 5. 14,15; Ap 19.16)]
8)Dizem que somos deuses quando a Bíblia diz que somos homens! (Is 40. 6-8)
9)Dizem que somos “filhos do rei”, no sentido de termos do bom e do melhor, no entanto o nosso rei se fez servo (Jo 18.36; Fp 4.11)
10)Dizem que devemos desejar as mesmas coisas caras que o próximo tem, a Bíblia, entretanto, chama isso de cobiça (Ex 20.17)
11)Dizem que os pastores devem prosperar financeiramente; mais a Bíblia diz o contrário (II Co 6.4-10; I Pe 5.2; II Pe 2.3)
Dizem, dizem e dizem; e não param de mentir!
Estão assassinando a hermenêutica!

Quando um princípio está claro em toda a Bíblia, lembre-se que em nenhum texto a idéia deste princípio poderá ser contrariada. A Bíblia jamais dirá uma coisa e depois dirá outra!

Poderia citar inúmeros versículos, entretanto, acho que todo cristão sincero sabe perfeitamente que a Bíblia deixa claro que Jesus não nos chamou para sermos ricos!
Gostaria que os amados irmãos verdadeiramente lessem os textos citados.
  

Analisando alguns textos
Passaremos a analisar alguns textos que são distorcidos pela teologia da prosperidade.

Sl 37.25
Teologia da prosperidade: Afirma que este texto diz que os crentes não devem passar nenhum tipo de dificuldade financeira. Diz ainda que receber ajuda de alimento ou financeira é mendigar o pão!
A verdade bíblica: Este texto está justamente no contexto de um salmo que fala que não devemos olhar para a prosperidade financeira do ímpio. Basta ler os vs. 1,16.
O versículo 25 está falando do cuidado de Deus, ou seja, o Senhor não desamparará o justo, ainda que ele tenha dificuldades, o Senhor o livrará! Ver Mt 6. 31-34
O apóstolo Paulo, por exemplo, recebeu ajuda dos filipenses II Co 11.9; Fp 4.10

SL 82.6
Teologia da prosperidade: Afirma que o homem é um semi-Deus e que muitas coisas Deus fará somente sob o decreto do homem.
A Verdade: Deus é soberano e onipotente! Cristo é o Senhor! A teologia da prosperidade com a sua doutrina da confissão positiva, faz de Deus, o gênio da garrafa! O gênio que obedece a sua ordem; poderoso e que atende o seu pedido, no entanto, não passa de seu escravo!
Vamos analisar esta citação bíblica. Se observarmos o texto e o contexto, está sendo utilizada pelo salmista uma linguagem que na gramática se chama figura de retórica, no caso, uma linguagem irônica foi utilizada, ou seja, Deus está “zombando” daqueles que agem como se fossem “deuses”, mais na verdade não passam de homens. Podemos perceber claramente lendo o versículo anterior e o posterior.
No v. 5 está escrito que não sabem nada e andam em trevas.
No v. 7 está escrito que morrerão!

Mt.18.18-19
Teologia da prosperidade: Afirma que este texto ensina que se dois ou mais irmãos decretarem algo na terra, obrigatoriamente Deus terá que atender no céu.
Verdade: Primeiramente este texto está no contexto do ensino sobre disciplina (vs. 15-17). Em segundo lugar, a tradução correta do grego diz: Terá sido ligado...(ver Almeida Revista e Atualizada); isto nos dá a idéia de que aquele que é cortado da comunhão, na verdade nunca esteve ligado por Deus, em outras palavras; quando alguém é desligado da comunhão, na verdade já estava desligado por Deus. Nossas atitudes devem refletir as decisões do Senhor.
Deus somente nos atende quando pedimos algo segundo a sua vontade; a Bíblia é clara quanto a isto! Jo15.7; Tg 4.3; I Jo 3.22; 5.14

Conclusão:
Nesta aula pudemos perceber claramente que a teologia da prosperidade distorce as escrituras Pará justificar as suas heresias. Aprendemos que as afirmações dos mestres da prosperidade não podem permanecer de pé diante das verdades bíblicas. Por fim iniciamos a análise de alguns textos usados pelos mestres da fé. Na próxima aula continuaremos com o assunto e iremos analisar mais alguns textos.