Voce está em: Estudos Bíblicos - Heresias nas Igrejas

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 2005
TEMA: HERESIAS NAS IGREJAS; O FALSO EVANGELHO!
AULA Nº6
ASSUNTO: OS CULTOS DE LIBERTAÇÃO - PARTE 2 (CONVERSANDO COM OS DEMÔNIOS).

Texto: Mc 1. 23-26
Introdução:
Na última aula iniciamos a análise de mais um modismo herético que tem se espalhado pelo meio evangélico: Os cultos de libertação.
Dentre as coisas que os adeptos desta idéia crêem, está a afirmativa de que os crentes podem ficar endemoninhados. Aprendemos que isto é impossível! Hoje iremos estudar uma prática realizada nos cultos de libertação; a conversa com demônios. Este será o nosso segundo tópico.

Combatendo as heresias dos cultos de libertação

2- Não é bíblico o hábito de conversar com demônios, isto é errado!

Querido irmão; quero frisar bem que o hábito de entrevistar demônios é antibíblico e extremamente perigoso!
Aqueles que tem este proceder; alegam que é necessário descobrir o que o demônio está fazendo na vida da pessoa para que ela seja liberta. Afirmam ainda que se há um problema de obra de feitiçaria o demônio revelará que obra é esta e então ela será desfeita.
Dizem ainda que o demônio se for obrigado, em nome de Jesus, poderá revelar muitos mistérios ocultos que não estão escritos na Bíblia.
Irmãos, estas afirmações são heresias e fogem da verdade. Vejamos o porquê:

A)Quando pedimos algo em nome de Jesus, não significa que falamos “Jesus” como se fosse uma palavra mágica e todos os nossos desejos absurdos tivessem que ser atendidos. Falar em nome de Jesus significa falar debaixo da sua autoridade, como um enviado do Senhor, um mensageiro coberto pela sua autoridade.
Vemos na Bíblia um exemplo bem claro a respeito disso. No livro de Atos, os sete filhos de Ceva tentaram expulsar um demônio usando o nome de Jesus e não tiveram sucesso (At 19. 13-16).
Quando falamos em nome de Jesus, falamos segundo a sua Palavra (Jo 14.15; 15.7;  I Jo 3.21,22), falar em nome de Jesus em atitude de desobediência a sua Palavra é pronunciar o seu nome em vão(Tg 4.3)! O homem sempre insiste em fazer as coisas do seu próprio modo; a Bíblia, no entanto, mostra o modo pelo qual iremos agradar a Deus.
Se a Palavra do Senhor não ensina a prática de conversar com demônios, quando alguém insiste em fazer isto, colocando o demônio como centro das atenções, ainda que fale o nome de Jesus, o inimigo certamente usará de engano. Deus não tem compromisso com nossas atitudes de desobediência e o Diabo não estará sujeito a tal coisa. Não se iluda!

B)Devemos lembrar que o Diabo é o pai da mentira, portanto, mentir é a sua especialidade! Jo 8.44  II Ts 2.9

C)Lembremos ainda que o Diabo é astuto! II Co 2.10,11; 11.14
Quando Satanás percebe que algo é feito sem a ordem ou vontade de Deus expressa em sua Palavra, certamente mentirá ou usará de engano para que este tipo de prática que desagrada a Deus continue sendo feita.

D)Jesus não conversava com demônios! (Mt 9.32,33; 12.22; 15.21-28; 17.14-18 Mc 1.23-26; Lc 8.2; At5.16)

E)Não existe nenhuma revelação doutrinária além da Palavra de Deus Dt 29.29; Gl 1.8,9
F)Não precisamos querer saber o porquê dos demônios possuírem alguém, pois a sua obra já está revelada na Palavra de Deus em Jo 10.10
Para que você entenda melhor, é o mesmo que orar para que o Espírito Santo “use” da vida de alguém para lhe perguntarmos o que Jesus deseja fazer aos homens.É o mesmo que perguntar se Deus quer que você evangelize, ou ore, ou ainda leia a Bíblia. Isto tudo são coisas óbvias que já estão ditas na Palavra de Deus.

G) Quando conversam com demônios, eles fazem do inimigo o centro das atenções, e o povo é movido pelo sensacionalismo.

H)Esta atitude torna-se uma rotina, como se os pastores torcessem para que a pessoa caísse sempre endemoninhada, pois isto “dá IBOPE ”. Na verdade as pessoas acabam não sendo verdadeiramente libertas. Geralmente este costume parte de pastores incompetentes e negligentes com a meditação e pesquisa da Palavra de Deus; sem assunto, são obrigados a usarem destes recursos para atrair o público.  

Analisando o caso dos endemoninhados Gadarenos
No caso dos gadarenos, ver o contexto ( Mt 8. 28-34; Mc 5.1-20; Lc 8.26-39). Não deixar de observar as regras de hermenêutica!

1º- Eram dois endemoninhados e não um. Marcos e Lucas omitem um deles, pelo fato de citarem apenas o que se sobressaía. Foram eles que vieram ao encontro do Senhor(Mt 8.28; Mc 5.1-6; Lc 8.27) e eles também é que falaram primeiro ( Mt 8.29; Mc 5.7-8). Aprendemos de imediato uma lição: Algumas vezes os demônios tentarão falar. Jesus não permitia que os demônios ficassem falando ( Lc 4.34,35)

2º- Não vemos Jesus perguntando o que eles faziam ali, ou porque estavam possuindo aqueles homens, ou pedindo que revelassem algum ensino. As palavras proferidas por Jesus tiveram apenas o objetivo de mostrar que existem pessoas que são possessas por legiões e também mostrar o estado deplorável daqueles homens (Mc 5.9). O Senhor perguntou apenas: Qual é o teu nome? Jesus já sabia qual seria a resposta.

3º- Este episódio relatado nos Evangelhos de Mt, Mc e Lc; tinha o ensino principal de que Jesus realmente era o Messias e Senhor e que até os demônios reconheciam que ele era o Filho de Deus, coisa que os religiosos não enxergavam ( Mt 8.28; Mc5.6,7; Lc 8.28). Veja ainda o texto de Tg 2.19. Como Senhor, até mesmo o reino das trevas está debaixo dos seus pés!

4º- Note bem que o episódio mencionado não ocorreu na presença de muitas pessoas, mais apenas de Jesus, seus discípulos e os endemoninhados. Os porqueiros somente perceberam o ocorrido, quando os porcos precipitaram-se no abismo. Depois é que toda a cidade saiu ao encontro de Jesus para pedir que ele se retirasse.

5º- Apenas as seguintes palavras foram ditas por Jesus: “ide” em Mt 8.32 e; “Sai deste homem, espírito imundo!” e “Qual é o teu nome?” em Mc 5.8 e 9 respectivamente.
Não houve na verdade nenhuma entrevista ou tipo de “bate-papo”.

- Não podemos transformar exceções em regras! Se na Bíblia inteira Jesus não conversa com demônios, porque então usaríamos de um episódio para criarmos um ensino? (Lc 4.34,35).
Querido irmão; não podemos transformar as nossas experiências pessoas em doutrinas! Exemplo: Não é pelo fato de que abri a Bíblia e Deus falou comigo através de um versículo que ensinarei que os crentes devem ficar abrindo a Bíblia como se fosse uma “bola de cristal”, é obrigação de todo cristão conhecer a Palavra de Deus em toda a sua inteireza para compreender a vontade do Senhor, abrir a Bíblia aleatoriamente e Deus falar é exceção e não regra, quando fazemos isso com freqüência Deus irá parar de falar desta forma e corremos o risco de erramos.A Bíblia tem resposta para tudo e devemos saber onde elas estão!
No caso estudado, havia um determinado objetivo naquela ocasião, havia um ensino no episódio e Jesus tinha autoridade para fazer aquilo, mais jamais ensinou isso como regra doutrinária; assim como fazer lodo com a saliva e passar nos olhos dos cegos, etc... Somente poderemos fugir das regras quando elas não ferirem a Palavra de Deus e forem apenas exceções e não rotinas para a nossa vida, pois neste caso, estaremos praticando uma heresia.

Conclusão:
Nesta aula combatemos uma pratica comum nos cultos de libertação: A conversa com demônios. Aprendemos o porquê não está certo fazer isto e refutamos a luz da Palavra do Senhor esta prática. Na próxima continuaremos o assunto: “Cultos de libertação”.

Ricardo Correia de Mattos
Pastor presidente