Voce está em: Seminário de Escatologia - Análise do livro do Apocalipse

Seminário de escatologia - Parte IV
Análise do Apocalipse
Aula nº 15
Assunto:
Capítulo 17 - A grande meretriz

I – Introdução
Irmãos; creio que o estudo a respeito da Babilônia ministrado na aula anterior foi extremamente útil para a compreensão dos capítulos 17 e 18 do livro do Apocalipse. Estes capítulos fazem parte do quarto e último parêntese do livro e nele descobriremos o mistério da Babilônia e veremos o seu destino. Deus responderá a duas perguntas:
1ª)-Qual o futuro do catolicismo romano e de todas as igrejas que ficarão na tribulação?
2ª)-O que acontecerá com o sistema político-econômico mundial?
Após revelar o destino das “duas Babilônias”, o livro retornará com a ordem cronológica interrompida no final do capítulo 16 quando a última taça concluiu o derramar da ira de Deus sobre a Terra durante a Grande Tribulação.
Nesta aula faremos a análise do capítulo 17 e aprenderemos sobre a destruição da super-igreja apóstata; a falsa religião!

II- Análise de Ap 17.1-18- A Grande Meretriz
Neste texto iremos descobrir que a grande meretriz é a igreja falsa; a Babilônia religiosa.
Podemos subdividir o capítulo da seguinte forma:
1-6 – A visão
7-18- A interpretação

Não é necessário tentar “adivinhar” o significado dos símbolos e figuras, pois o próprio capítulo somado com os textos paralelos nos dão a correta interpretação.
Para a análise do texto, recorreremos às próprias passagens paralelas.

II.1- Apocalipse 17.1-6
O objetivo do capítulo é mostrado no versículo primeiro: Será revelado o julgamento da Grande Meretriz.
A expressão “Muitas águas” significa muitos povos. Comparar com o versículo 15.

v.2- Sobre a grande prostituta nos é revelado neste versículo que:
a)- Com ela se prostituíram os reis da Terra; ou seja, influenciou governos. 2
Devemos lembrar o quanto a religião, em especial o catolicismo romano, influenciou os governos mundiais. Obviamente que, quando digo “religião”, refiro-me a todo sistema humano de dogmas e rituais que em nada satisfazem a justiça de Deus, e, portanto, são inúteis para salvar o homem; ao contrário, afastam ainda mais o homem do seu criador.
b)- Sua devassidão tirou a sobriedade dos homens.2
Quantas atrocidades foram cometidas em nome de uma falsa religiosidade!
Quão cegos são aqueles que rejeitam a Verdade!

v.3- A visão tem início; a mulher do versículo 3 é a mesma meretriz do v.2.
Na Bíblia a mulher (esposa) é uma figura usada no Antigo Testamento para Israel e no Novo Testamento (noiva) para a Igreja, repare:
Israel é a esposa pelo fato de ter entrado em aliança com Deus. A nação é comparada com uma mulher (esposa do Senhor); quando abandonou ao Senhor, passou a ser comparada com uma mulher adúltera. O pecado de idolatria é simbolizado pelo adultério! Jr 3.20 Veja também o comentário de Ap 12 na aula nº11.
Da mesma forma a Igreja verdadeira é a noiva do Cordeiro (Ap 22.17); a Igreja é comparada com uma moça virgem (virgindade – símbolo de pureza).
Se a Igreja verdadeira é a noiva pura, logo...
A Igreja falsa é a mulher prostituta; a meretriz! Não se trata apenas do catolicismo romano, mas de todas as religiões e seitas que unidas formarão a igreja apóstata liderada pelo catolicismo romano.
Notemos que a mulher estava montada na besta, ou seja, caminhava com a besta e por ela era carregada. Esta besta é a mesma do capítulo 13.1-10 (ver comentário da aula 12). Perceba que o próprio sistema do Anticristo é o que a sustentará por um tempo. É interessante para o Diabo que existam muitas religiões, pois isto causa confusão; do mesmo modo, no início da tribulação será interessante para o Anticristo manter a falsa igreja.
Todo sistema religioso falso compactua com o mundo e está de acordo com o coração humano, logo, as religiões existem por causa do coração rebelde do homem e são sustentadas pelo próprio desejo mundano pecaminoso. Visto que nenhuma religião pode salvar, é da vontade do inimigo que surjam inúmeras religiões para atender aos diversos tipos de desejos e pecados humanos.
No início da tribulação, a falsa igreja caminhará juntamente com o próprio Anticristo, o pensamento da falsa religião caminhará de acordo com o espírito do Anticristo e será carregada por ele.
Os “nomes de blasfêmias” mostram todo o caráter da Besta que, por fim, buscará adoração para si mesma!
Sobre o significado das cabeças e dos chifres da Besta veremos a seguir no próprio texto.

v.4- Repare a riqueza da falsa igreja. Toda prostituta enriquece as custas do serviço feito para os seus clientes, do mesmo modo, esta igreja apóstata enriqueceu fazendo a vontade do Diabo!
As abominações são os atos da prostituta, os quais são detestáveis para Deus. A palavra grega na Septuaginta usada neste versículo para “abominações” é “bdelugma” que indica todas as formas de impureza cerimonial, sobretudo o que se relaciona a qualquer contato com a idolatria. Abominação pode-se dizer que, em primeiro plano, é tudo detestável e digno de repúdio pelo Senhor.

v.5- Neste versículo vemos a ligação desta falsa igreja com a Babilônia.
Por que “mistério”?
Ao estudarmos sobre a Babilônia na aula anterior, observamos que esta cidade é símbolo de confusão e rebelião contra Deus; nela se originou todo sistema religioso falso. Os rituais da Babilônia continuam presentes até mesmo no cristianismo apóstata!
v.6- “A mulher estava embriagada com o sangue dos santos!”
O que será que deixou o apóstolo tão admirado?
João vivenciou vários tipos de lutas e perseguições, entretanto, agora ele vê algo terrível e chocante; um sistema que se diz de Deus, uma “igreja” comandada por um sistema que trás o nome de Cristo, mas que, no entanto, mata e persegue àqueles que pertencem a Cristo!
Vale lembrar que o catolicismo romano, ao longo de sua existência perseguiu, torturou e matou inúmeros irmãos “em nome de Deus”; e não somente irmãos, mas em nome de uma falsa religiosidade hipócrita, perseguiram e mataram judeus, além de alguns cientistas.
Veja abaixo algumas imagens da inquisição e os instrumentos de tortura que foram usados pela igreja católica apostólica romana para torturar e matar os nossos irmãos em Cristo...

É triste vermos igrejas que se dizem cristãs unirem-se ao catolicismo através do movimento ecumênico!

II.2- Apocalipse 17.7-18
Estes versículos nos dão à interpretação da visão...

v.7- Será revelado o mistério da Mulher e da Besta.

v.8- Antes de comentarmos este versículo, vale lembrar que a Besta tanto se refere ao império romano restaurado (império do Anticristo) , como também ao próprio líder que o comanda, ou seja, o Anticristo. (Sugiro aos irmãos que revejam os comentários feitos sobre o Anticristo ao longo do nosso Seminário de Escatologia. Parte I: Escatologia geral - Aula 9- A grande Tribulação II e ainda na Parte III: Análise do livro de Daniel, aulas 3,8,9,10,12. Ver ainda o comentário nesta parte- Análise do livro do Apocalipse; aula 12; as duas bestas).
Sobre a Besta sabemos através deste texto que ela existia, passou a não existir e aparecerá novamente. O seu ressurgimento deixará o mundo perplexo, entretanto, aparecerá para ser definitivamente destruída.
O império romano não foi aniquilado totalmente, ele permanece de alguma forma em oculto, como um vírus em estado de latência aguardando para se manifestar.
A expressão “era e não é, está para emergir” refere-se ao império do Anticristo que, na verdade, é o império romano que, de certo modo, será restaurado. Ver os comentários anteriores.

Lembre-se que na estátua do capítulo 2 do livro de Daniel, os pés que representavam o último império mundial possuíam algo do império anterior (romano) que era representado pelo ferro.

v(s). 9,10- A respeito das sete cabeças, o versículo 9 afirma que são os sete montes sobre os quais a mulher está assentada. Trata-se da cidade de Roma; sabemos que esta cidade é rodeada por sete colinas. A sede da igreja apóstata estará em Roma, onde se encontra a sede do catolicismo romano com todos os seus rituais da antiga Babilônia.
Sérvio Túlio rodeou com uma muralha as sete colinas que constituíam a cidade, ficando no seu centro o fórum romano.

As sete cabeças são também sete reis (vs. 9,10). Estes reis são os representantes dos impérios mundiais que oprimiram e dominaram diretamente sobre Israel, a saber:
Os cinco que caíram são: Egito; Assíria; Babilônia; Pérsia e Grécia
O que existe, ou seja, o que dominava na época em que foi escrito o livro do Apocalipse: Roma
O que ainda não chegou é o império do Anticristo (Romano restaurado).
Geralmente um império exerce o seu domínio por um longo período de anos, entretanto, este último império durará pouco tempo, ou seja, sete anos (período da Tribulação).

v.11- A Besta “também é ele”, ou seja, um homem! Este homem é o oitavo rei (o último líder mundial) e procede dos sete, isto significa que este líder virá da lista dos sete impérios anteriores, mais precisamente surgirá do império romano restaurado (sétimo).
O oitavo rei é o Anticristo!
Ele (o Anticristo) será destruído!

v.12,13- Este último império, tal como visto por Daniel, possui dez chifres, o que significa que esta nova superpotência mundial será formada por uma aliança de dez países, entretanto, a Besta assumirá o controle do império.

v.14- Este versículo refere-se a batalha do Armagedom no final da Grande Tribulação quando Jesus voltará para livrar Israel. A Besta, quando Jesus voltar, tentará de forma inútil pelejar contar Jesus, o Cordeiro de Deus.

v.15- As muitas águas, são povos, multidões, nações e línguas.
Repare que esta meretriz está assentada sobre muitas nações; quão grande é a influência da falsa religiosidade impregnada pelas práticas da antiga Babilônia sobre os vários povos da Terra!
Note ainda que a Igreja Católica Apostólica Romana é a única instituição que se diz religiosa e possui, através do Vaticano, representatividade governamental oficial por meio de suas embaixadas em quase todas as nações da Terra. Será coincidência que a sede do catolicismo seja em Roma; a Babilônia espiritual?

v(s) 16,17- Até a metade da tribulação eles caminharão juntos, mas depois a Besta se voltará contra a igreja apóstata.
Concluímos que o final do catolicismo e sua total ruína, bem como a destruição de todo sistema religioso mundial se dará na metade da tribulação. A própria Besta será o agente desta destruição.
Surge uma pergunta: Por que o próprio Anticristo destruirá a Babilônia espiritual?
Simples: Quando o Anticristo quebrar o pacto com Israel, ele exigirá adoração para si mesmo, como se fosse um “deus”, portanto ele procurará destruir tudo que mencione qualquer outro “deus”, ainda que seja um sistema religioso falso e desprovido do verdadeiro Deus.
Em suma, a adoração ao Anticristo será a religião! Leia: II Ts 2.3,4

v.18- A mulher não é apenas a falsa igreja, mas também a sua sede. Refere-se a Roma, visto ser esta a cidade que dominava sobre os reis da Terra (capital do império).

III- Resumindo:
A mulher é a igreja apóstata que ficará na tribulação e será comandada pelo Catolicismo Romano; este é chamado também de Babilônia (ver I Pe 5.13; onde Roma é chamada de Babilônia) por ter assimilado e guardado todos os seus rituais abomináveis. A mulher também é a própria sede das suas abominações; a cidade de Roma.
Todo este sistema religioso cairá e será definitivamente destruído no início da segunda metade da tribulação.

Agora que você aprendeu sobre a Babilônia espiritual, na aula seguinte prosseguiremos estudando este parêntese do livro analisando o capítulo 18 e aprendendo sobre a Babilônia político-econômica e a sua queda.