Voce está em: Seminário de Escatologia - Análise do livro do Apocalipse

Seminário de escatologia - Parte IV
Análise do Apocalipse
Aula nº 5
Assunto: A Igreja no céu. 1ª parte
A visão do trono de Deus

I - Introdução
Neste ponto do livro do Apocalipse entramos na terceira parte do mesmo que tratará das coisas que depois destas hão de acontecer (ou seja, depois da época da Igreja). Lembremos que a contar deste capítulo, a Igreja não é mais vista na Terra e inicia-se a grande tribulação que corresponde a 70ª semana do livro de Daniel. Os capítulos 4 e 5 formam uma espécie de parêntese e mostram a Igreja no céu.

I – Visão do Trono de Deus - Análise do capítulo 4
O primeiro versículo corresponde aos textos de I Ts 4. 14-18 e I Co 15.50-58; e está situado no momento do soar da trombeta do arrebatamento.

v.1- Este versículo mostra o arrebatamento da igreja, o arrebatamento de João ao céu é uma figura do que ocorrerá com a Igreja. Repare que o capítulo se inicia logo após o fim da era da Igreja em Ap 3.22.
A primeira voz que João ouviu foi a voz de Cristo. O final do versículo mostra mais uma vez que as revelações a seguir tratarão de uma época após o arrebatamento.

v.2- O arrebatamento do apóstolo foi em espírito (ver I Co 15.50-52). A primeira coisa vista é um trono, este fala de autoridade, domínio e soberania. O trono é o trono de Deus Pai; logo adiante veremos que Jesus se apresentará. 

v.3- A primeira coisa que João vê no céu é o trono de Deus.
João não viu a forma daquele que estava assentado no trono, mas sim a sua glória! O sardônio era uma pedra vermelha e o jaspe brilhante, elas representavam a glória de Deus e o seu amor, cuja expressão máxima está no sacrifício redentor de seu Filho Jesus (Jo3.16). A esmeralda se refere a uma espécie de quartzo vítreo incolor que, em forma de prisma, decompõe a luz. O brilho era intenso!
O arco também nos lembra a aliança feita por Deus com os homens em Gn 9. 9-17. Este era um sinal de que Deus, em meio ao seu juízo, não deseja destruir totalmente o homem que criou.

v.4- Os vinte e quatro anciãos representavam os santos do Antigo e do Novo Testamento (12 x 12 = 24). Doze era o número das tribos de Israel que representam os santos do Antigo Testamento; os outros doze referem-se ao número dos apóstolos que representam a Igreja (os santos do Novo Testamento).
Nos 24 tronos estão assentados os 24 anciãos, portanto eles participam do reino. As coroas foram dadas como galardão para os santos; as vestes brancas mostram a santidade dos salvos. As vestes e as coroas mostram que são reis e sacerdotes! (Ap 1.6).

v.5- Os relâmpagos; vozes e trovões simbolizam o juízo que parte do trono.Podemos ver também a presença do Espírito Santo. O número sete representa a plenitude e a perfeição divina.

v.6- O mar de vidro nos revela a santidade perfeita e a pureza daquele que estava no trono. Devemos lembrar do tabernáculo e do templo; estes eram apenas figuras do santuário celestial.
Para que os sacerdotes entrassem na presença de Deus precisavam sacrificar no altar e se purificavam no mar de bronze, entretanto, aqui o mar era de vidro, pois Jesus morreu por nós e agora vemos a Igreja glorificada no céu com vestes brancas simbolizando a sua santidade, o que significa que não é preciso mais “lavar os pés”!
“Os quatro seres viventes” - Os seres viventes são os mesmos vistos em Ez 1.5-13;10.14,15,20. Em Is 6.1-3 são chamados de serafins (seres ardentes; de brilho intenso). As descrições em Isaías, Ezequiel e João são iguais, apenas com o detalhe de que Ezequiel não menciona o terceiro par de asas que se referem àquelas que cobriam a face voltada para o trono.

v.7- Os seres viventes estão ligados ao trono de Deus e sua eterna adoração; eles mostram a onipotência e santidade perfeita do criador, embora fossem seres poderosíssimos e de brilho intenso, não podiam olhar para aquele que estava assentado no trono! Podemos observar Cristo representado simbolicamente nas faces dos querubins:
Leão – Descrição de Jesus no Evangelho segundo Mateus – Rei e Messias
Bezerro – Descrição de Jesus no Evangelho segundo Marcos – O servo incansável
Homem – Descrição de Jesus no Evangelho segundo Lucas – O Filho do Homem
Águia – Descrição de Jesus no Evangelho segundo João – O Filho de Deus
Jesus é Rei; Servo; homem e Deus! Ele revela o que eestá assentado no trono; Ele é a expressa imagem do criador! (Jo14.8,9).

v(s)8-11- O capítulo encerra com dois cânticos diferentes.
O primeiro cântico é o dos seres viventes. (8,9)
O segundo cântico é o dos remidos representados pelos 24 anciãos (10,11).
Repare que os anciãos lançam as suas coroas, como se dissessem através deste ato: “Nós recebemos estas coroas; mas, na verdade não merecíamos, pois por tua graça e misericórdia nos fizestes reis e sacerdotes. Somente o Senhor é digno de reinar!”.

Na aula seguinte continuaremos a estudar este cenário no céu e falaremos sobre a visão do Cordeiro.